Revista Brasileira de Avaliação
https://www.rbaval.org.br/article/doi/10.4322/rbaval202110003
Revista Brasileira de Avaliação
Ensaio

Fatores para a profissionalização e a importância das diretrizes para a prática da avaliação no Brasil

Márcia Paterno Joppert

Downloads: 6
Views: 183

Resumo

O desenvolvimento da avaliação no Brasil como campo profissional pode ser observado por diversos aspectos. Mais oportunidades de treinamento e formação e consequente produção acadêmica, tendência de institucionalização da função avaliação nas organizações, aumento da demanda por avaliações externas e o crescimento da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação (RBMA) são alguns sinais. Este ensaio, elaborado a partir de revisão de literatura, pretende realizar uma reflexão sobre os fatores que levam à profissionalização da avaliação nos diversos países onde se desenvolveu e a importância de se ter diretrizes, princípios, normas e padrões como fator decisivo para seu aprimoramento e relevância. Pretende também refletir sobre o potencial das recém lançadas diretrizes brasileiras para o desenvolvimento do campo no Brasil.

Palavras-chave

Avaliação. Avaliação profissional. Competências em avaliação. Padrões em avaliação. Ética em avaliação. Associações de avaliação.

Referências

American Evaluation Association – AEA. (2020a). Competencies. Recuperado em 9 de dezembro de 2020, de https://www.eval.org/page/competencies

American Evaluation Association – AEA. (2020b). Guiding principles for evaluators. Recuperado em 9 de dezembro de 2020, de https://www.eval.org/p/cm/ld/fid=51

American Evaluation Association – AEA. (2020c). University programs. Recuperado em 20 de dezembro de 2020, de https://www.eval.org/p/cm/ld/fid=43

American Evaluation Association – AEA. (2020d). Recuperado em 20 de dezembro de 2020, de https://www.eval.org/p/cm/ld/fid=472

Australian Council of Professions – ACoP. (2021). What is a profession? Professions professionals professionalism. Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de https://www.professions.org.au/what-is-aprofessional/

Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome – MDS. Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação. (2016). SAGI: Informação e conhecimento para políticas de desenvolvimento social. Brasília.

Brasil. Ministério da Economia. (2020). Conselho de Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas (CMAP). Recuperado em 20 de dezembro de https://www.gov.br/economia/pt-br/acesso-a-informacao/participacao-social/conselhos-e-orgaos-colegiados/cmap/institucional/institucional-1

Bustelo, María. (2006). The potential role of standards and guidelines in the development of an evaluation culture in Spain. Evaluation, 12(4), 437-453. http://dx.doi.org/10.1177/1356389006071291

Canadian Evaluation Society – CES. (2020). Recuperado em 20 de dezembro de https://evaluationcanada.ca/our-history#:~:text=The%20CES%20was%20first%20incorporated,field%20of%20evaluation%20in%20Canada

Centro de Aprendizagem em Avaliação e Resultados para o Brasil e a África Lusófona – FGV EESP Clear. (2020). Cursos: Evidências no Ciclo da Política Pública. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de http://fgvclear.org/pt/cursos/

Consortium of Universities for Evaluation Education – CUEE. (2021). Evaluation education [L’enseignement de l’évaluation]. Recuperado 21 de janeiro de 2021, de https://evaluationeducation.ca/

Escola Nacional de Administração Pública – ENAP. (2021). Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de https://www.enap.gov.br/pt/cursos/pos-graduacao/mestrado/mestrado-profissional-em-avaliacao-emonitoramento-de-politicas-publicas

European Evaluation Society – EES. (2020a). Recuperado 20 de dezembro de 2020, https://europeanevaluation.org/voluntary-evaluator-peer-review/

European Evaluation Society – EES. (2020b). Education. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://europeanevaluation.org/education/

EvalPartners. (2018). Global Evaluation Agenda 2016-2020. Recuperado 9 de dezembro de 2020, de https://www.evalpartners.org/global-evaluation-agenda

Faculdade Cesgranrio. (2020a). Revista Meta: Avaliação. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/metaavaliacao

Faculdade Cesgranrio. (2020b). Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/ensaio

Faculdade Cesgranrio. (2020c). Gestão da avaliação. Recuperado em 20 de dezembro de 2020, de http://facesg.edu.br/graduacao_avaliacao.aspx

Faculdade Cesgranrio. (2021). Mestrado profissional em avaliação (stricto sensu). Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de http://mestrado.cesgranrio.org.br/mestrado/selecao.aspx

Fierro, Leslie, Galport, Nicole, Hunt, Ashley, Codd, Heather, & Donaldson, Stewart. (2016). Canadian Evaluation Society credentialed evaluator designation program: Evaluation report. Claremont: Claremont Evaluation Center. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://evaluationcanada.ca/txt/2016_pdp_evalrep_en.pdf

Fundação Carlos Chagas – FCC. (2020). Estudos em Avaliação Educacional. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/eae

Fundação Getúlio Vargas – FGV. (2020). Curso de formação em monitoramento e avaliação. Recuperado em 20 de dezembro de 2020, de http://fgvclear.org/site/wp-content/uploads/folder_forma-atualizado-1.pdf

Fundação Itaú Social. (2021). Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de https://www.redeitausocialdeavaliacao.org.br/

Fundação João Pinheiro – FJP. (2020, janeiro 14). Curso de Especialização em Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas. Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de http://novosite.fjp.mg.gov.br/especializacaoem-monitoramento-e-avaliacao-de-politicas-publicas/

Gauthier, Benoît, Kishchuk, Natalie, Borys, Shelley, & Roy, Simon. (2015). The CES professional designations program: Views from members. The Canadian Journal of Program Evaluation, 29(3), 98-133. http://dx.doi.org/10.3138/cjpe.29.3.98

Gullickson, Amy, King, Jean, LaVelle, John, & Clinton, Janet. (2019). The current state of evaluator education: A situation analysis and call to action. Evaluation and Program Planning, 75, 20-30. PMid:31015094. http://dx.doi.org/10.1016/j.evalprogplan.2019.02.012

Lahey, Robert, Elliott, Catherine, & Heath, Sarah. (2018). The evolving market for systematic evaluation in Canada. New Directions for Evaluation, 2018(160), 45-62. http://dx.doi.org/10.1002/ev.20346

Mertens, Donna. (2008). Transformative research and evaluation. New York: Guilford Press.

Meyer, Wolfgang. (2016). Toward professionalization? The contribution of university-based training programs in pioneer countries. In Reinhard Stockmann & Wolfgang Meyer (Eds.), The future of evaluation (pp. 98-112). London: Palgrave Macmillan. http://dx.doi.org/10.1057/9781137376374_7

Morris, Michael. (2011). The good, the bad, and the evaluator: 25 years of AJE ethics. The American Journal of Evaluation, 32(1), 134-151. http://dx.doi.org/10.1177/1098214010388267

Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE. Comitê de Ajuda ao Desenvolvimento – CAD. (2010). Normas de qualidade para a avaliação do desenvolvimento. Paris: CAD/OCDE.

Patton, Michael Quinn. (2008). Utilization-focused evaluation. Thousand Oaks: SAGE Publications.

Podems, Donna. (2014). Evaluator competencies and professionalizing the field: Where are we now? The Canadian Journal of Program Evaluation, 28(3), 10.

Podems, Donna. (2018). Being an evaluator: Your practical guide to evaluation. New York: Guilford Publications.

Red Latinoamericana de Seguimiento, Evaluación y Sistematización – ReLAC. (2016). Estándares de evaluación para América Latina y el Caribe. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://www.relac.net/biblioteca/evaluation-standards/

Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação – RBMA. (2021a). Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de http://redebrasileirademea.ning.com

Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação – RBMA. (2021b). Revista Brasileira de Avaliação (RBAVAL). Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de https://www.rbaval.org.br/

Rodriguez-Bilella, Pablo. (2017). Significance of voluntary organizations for professional evaluation (VOPES) for the dissemination and professionalization of evaluation. Zeitschrift für Evaluation, 16, 210-218.

Rodriguez-Bilella, Pablo. (2018). Más de cuarenta posgrados en evaluación en América Latina y el Caribe: Al Borde del Caos. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://albordedelcaos.com/2018/05/17/masde-cuarenta-posgrados-en-evaluacion-en-america-latina-y-el-caribe/

Rodriguez-Bilella, Pablo, & Lucero, María Alejandra. (2016). Evaluation as a global phenomenon: The development of transnational networks. In Reinhard Stockmann & Wolfgang Meyer (Eds.), The future of evaluation: Global trends, new challenges, shared perspectives (pp. 66-80). London: Palgrave MacMillan. http://dx.doi.org/10.1057/9781137376374_5.

Rugh, J., Akundy, A., & Segone, M. (2013). Voluntary Organizations for Professional Evaluation (VOPEs): Learning from Africa, Americas, Asia, Australasia, Europe and Middle East. Unicef. Recuperado em 26 de janeiro de 2021. https://www.evalpartners.org/sites/default/files/UNICEF_NY_ECS_Book2_web.pdf

Schwandt, Thomas. (2015). Evaluation foundations revisited: Cultivating a life of the mind for practice. Stanford: Stanford University Press. http://dx.doi.org/10.1515/9780804795722.

Scientific Electronic Library Online – SciELO. (2020). Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://submission.scielo.br/index.php/aval

Silva, Rogério, Joppert, Marcia, & Gasparini, Max. (2020). Diretrizes para a prática de avaliação no Brasil (1. ed.). Rio de Janeiro: Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação. Recuperado 20 de dezembro de 2020, de https://sinapse.gife.org.br/download/diretrizes-para-pratica-de-avaliacoes-no-brasil

Stevahn, Laurie, King, Jean, Ghere, Gail, & Minnema, Jane. (2005). Establishing essential competencies for program evaluators. The American Journal of Evaluation, 26(1), 43-59. http://dx.doi.org/10.1177/1098214004273180

Stockmann, R. (2016). The future of evaluation in modern societies. In R. Stockmann & W. Meyer (Eds.), The Future of Evaluation: Global Trends, New Challenges, Shared Perspectives (pp. 36–50). Palgrave Macmillan UK. https://doi.org/10.1057/9781137376374_3

Stufflebeam, Daniel, & Coryn, Chris. (2014). Evaluation theory, models, and applications. New York: John Wiley & Sons.

The United Nations Evaluation Group – UNEG. (2013). Core competencies for evaluators of the UN system. New York.

The United Nations Evaluation Group – UNEG. (2016). Professionalization of evaluation concept paper. New York.

The United Nations Evaluation Group – UNEG. (2017). Norms and standards for evaluation. New York.

Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF. (2021). Mestrado em Gestão e Avaliação da Educação Pública: Programa de Pós-graduação Profissional. Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de http://mestrado.caedufjf.net/

Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. (2021). Programa de Pós-graduação em Métodos e Gestão em Avaliação. Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de https://ppgmga.posgrad.ufsc.br/

Universidade Federal do Ceará – UFC. (2020). Revista Avaliação de Políticas Públicas (AVAL). Recuperado 20 de dezembro de 2020, de http://www.avalrevista.ufc.br/index.php/revistaaval

Universidade Federal do Ceará – UFC. (2021). Programa de Pós-graduação em Avaliação de Políticas Públicas. Recuperado em 26 de janeiro de 2021, de https://ppgapp.ufc.br/pt/

Wilcox, Yuanjing, & King, Jean A. (2012). A professional grounding and history of the development and formal use of evaluator competencies. The Canadian Journal of Program Evaluation, 3(28), 1-28.


Submetido em:
19/10/2020

Aceito em:
02/02/2021

60463d85a953953f5e4e0b24 rbaval Articles
Links & Downloads

Revista Brasileira de Avaliação

Share this page
Page Sections